E-commerce cresce 12% em 2017 e projeção para 2018 vai a 15%

13 de agosto de 2018
Criação de Sites

E-commerce cresce no Brasil

Em mais um ano difícil para a economia brasileira, o e-commerce mostrou, mais uma vez, sua vocação para crescer, mesmo em tempos de crise, surgindo soluções para os empreendedores do país. Se os resultados do varejo físico ainda engatinham, com o e-commerce o cenário é outro: crescimento de 12% em relação ao ano anterior e faturamento na ordem de 59,9 bilhões de Reais, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Foram mais de 203 milhões de pacotes enviados pelas lojas virtuais brasileiras no ano que findou. Para o e-commerce, o tíquete médio, no período, alcançou R$ 294, com destaque para as categorias Eletroeletrônicos (R$ 558,20), Óticas e Acessórios (R$ 454,40) e Acessórios Automotivos (R$ 418,20), de acordo com dados divulgados pelo estudo “E-commerce Radar 2017 – Resultados do mercado de e-commerce do Brasil” da Neomove, em parceria com ABComm.

De acordo com o estudo, o principal motivador das compras online continua sendo as buscas no Google, já que 52% dos pedidos são originados deste canal. A aquisição de clientes, porém, passa pelo e-mail marketing, redes sociais, Criteo e Buscapé.

 Projeções para 2018

Para este ano, a ABComm projeta crescimento de 15% e faturamento de mais de 69 bilhões de Reais. Com isso, o tíquete médio deve subir para R$ 310 e o setor logístico deverá gerenciar mais de 220 milhões de pedidos ao longo do ano.

As projeções também apontam para a consolidação das vendas através do celular. A expectativa é que as vendas mobile totalizem 33% do total de pedidos, contra 28% em 2017.

Conforme apurado pelo estudo, aplicativos e otimização dos sites deverão puxar os investimentos das empresas para 2018 com o propósito de aprimorar a visualização de produtos em dispositivos móveis, o que proporcionará uma melhor experiência do cliente (customer experience). Assim desta forma torna-se um mercado rentável e produtivo para os usuários na comodidade e para os empresários para os novos tipos de negócios com alavancagem em vendas.

Fonte: E-commerce News

Deixe um comentário